Número total de visualizações de página

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Candidatura Abrantes Popular

Não perca dia 11 de Setembro, João Pico, em directo na Antena Livre.

Legislativas 2009 - debate José Socrates - Paulo Portas

Resultado favorável para Paulo Portas, segundo o Jornal Sol, que teve em conta a votação de um juri composto por: Sofia Galvão (PSD), António Filipe (PCP) e Miguel Portas (BE).


Parlamento Europeu: Nuno Melo questionou Lopes da Mota

O presidente do Eurojust, Lopes da Mota, foi hoje questionado no Parlamento Europeu em Bruxelas pelo eurodeputado Nuno Melo (CDS-PP) sobre o facto de se manter no cargo apesar do inquérito de que é alvo em Lisboa.

«Porque não suspende o mandato até conclusão do inquérito de modo a que Portugal possa recorrer ao Eurojust?», questionou Nuno Melo, na sessão de trabalhos da Comissão de Liberdades Cívicas, Justiça e Assuntos Internos do Parlamento Europeu (PE).

O eurodeputado considerou ainda que Portugal não recorreu à ajuda do Eurojust no processo Freeport devido às alegadas pressões que José Lopes da Mota terá exercido sobre dois magistrados que investigavam o caso.

Em resposta, Lopes da Mota sublinhou que Portugal nada tem a ver com o cargo que exerce, para o qual foi eleito pelos seus pares.

«O presidente do Eurojust não tem qualquer questão judicial, mas sim o membro português», sublinhou, acrescentando que a questão se discute em Portugal «e não aqui».

Em relação ao caso Freeport, Lopes da Mota referiu que Portugal nunca pediu ajuda ao Eurojust, tendo sido o Reino Unido a recorrer àquele organismo em 2008.

De Setembro de 2008 a Março de 2009, o Eurojust colaborou com as autoridades britânicas.
«Finalmente, o colega inglês encerrou o caso, em Março», esclareceu o magistrado, sublinhando que «Portugal não pediu nada, nem antes, nem depois».

Por seu lado, Nuno Melo referiu que interpelou Lopes da Mota «na primeira oportunidade» porque não teve oportunidade de o fazer na Assembleia da República «porque os socialistas o impediram».

Lopes da Mota apresentou hoje no PE o relatório de actividades do Eurojust.

O processo Freeport está relacionado com alegadas suspeitas de corrupção e tráfico de influências no licenciamento do espaço comercial, em 2002, quando o actual primeiro-ministro, José Sócrates, era ministro do Ambiente.

O Eurojust é um organismo da União Europeia, criado em 2002, para promover a eficácia das autoridades competentes nos Estados-membros quando estes investigam e combatem a criminalidade grave transfronteiriça e organizada.


Lusa / SOL

Legislativas 2009

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, lamentou esta quarta-feira que o frente-a-frente com o secretário-geral do PS, José Sócrates, não inclua os temas da agricultura e impostos, afirmando que encontrará ocasião de os discutir.

Tenho imensa pena que não seja debatida a agricultura nem os impostos", afirmou Paulo Portas, após ter sido questionado sobre os temas que ficarão de fora do primeiro frente-a-frente televisivo entre líderes partidários na pré-campanha eleitoral.

O Presidente centrista falava à margem de uma visita à Associação dos Deficientes das Forças Armadas, acrescentou esperar que o debate, conduzido pela TVI, seja esclarecedor e disse que encontrará outras ocasiões de debater os impostos e a agricultura.

Paulo Portas e o primeiro-ministro, José Sócrates, estreiam hoje os debates frente-a-frente entre os líderes partidários nas televisões.


CDS com DN.pt

CDS QUESTIONA FINANÇAS SOBRE COIMA COBRADA A PENSIONISTAS POR FALTA DA DECLARAÇÃO DE IRS

O CDS-PP vai pedir explicações ao Ministério das Finanças sobre a cobrança de coimas a pensionistas que não entregaram a declaração de IRS em 2008, após o Governo ter admitido perdoar as multas.

O líder parlamentar do CDS-PP Pedro Mota Soares disse que tomou esta quarta-feira conhecimento de um caso de um pensionista que não tem imposto a pagar mas a quem foi cobrada uma coima de 169 euros por não ter entregue a declaração de IRS relativa a 2008.

"Hoje descobrimos casos em que as Finanças, desmentindo o que o Ministério se tinha comprometido a fazer, continuam a passar coimas a pessoas que recebem de pensão de reforma 400 euros e que por isso não têm sequer que pagar imposto", disse Pedro Mota Soares.

Mota Soares recordou que em Maio passado, a direcção-geral de impostos "tornou público que iria perdoar estas coimas aos reformados que não entregaram a sua declaração de IRS".

"Este caso insere-se claramente porque a pessoa em causa nem sequer tem rendimentos suficientes para pagar imposto. Como se vê pelo documento, o IRS a pagar é zero", sublinhou Mota Soares.

"É extremamente injusto e o CDS vai pedir esclarecimentos junto do Governo como é que é possível o Governo dizer que recua, dar a esperança às pessoas e agora multar", afirmou o líder parlamentar democrata-cristão.


CDS com DD

Legislativas 2009

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, comprometeu-se hoje a "continuar a lutar" para a dignificação dos deficientes das Forças Armadas, defendendo a melhoria das pensões sociais.
"Conseguimos evitar o corte na assistência medicamentosa e falta repor a questão da pensão social. Quero dar este sinal e fazer este compromisso. Lutei pelos antigos combatentes e pelos deficientes das Forças Armadas e cumpri, voltarei a lutar por eles e a ajudá-los", assegurou Paulo Portas.O líder do CDS-PP visitou esta quarta-feira a sede da Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA), em Lisboa, no âmbito da pré-campanha às legislativas de 27 de Setembro.Portas lembrou a aprovação, na Assembleia da República, de um diploma do CDS-PP para repor a comparticipação dos medicamentos aos deficientes das Forças Armadas.O Governo PS tinha alterado o regime das comparticipações, limitando aquele benefício aos medicamentos necessários aos tratamentos resultantes directamente da deficiência.Paulo Portas insistiu na necessidade de alterar o regime das pensões sociais, considerando que numa "sociedade justa e que tem valores, não há direito que se tente economizar nas pensões daqueles que, hoje com uma média de idades de 63 anos, fizeram uma guerra por Portugal independentemente da sua vontade".No final da reunião, o presidente da ADFA, que conta actualmente com cerca de 15 mil associados, apelou para que "quem quer que vier a governar, consagre um Estatuto dos deficientes das Forças Armadas" e melhore as pensões sociais.Quanto à comparticipação medicamentosa, Manuel Arruda congratulou-se com a reposição do regime anterior, que deverá entrar em vigor a 1 de Janeiro.

CDS com Público.pt

Candidatura Abrantes Popular

Disse o presidente ao Mirante: " Há mais açudes com rampas ilegais no país"...

Consciência ambiental destes socialistas!

A Candidata do PS e vereadora do pelouro do Ambiente, subscreve e solidariza-se com esta "consciência ambiental" do seu presidente?!

Abrantes Comunidade + viva, também permite esta mortandade?!


Abrantes Popular

Candidatura Abrantes Popular

Um partido que lança 600 candidatos, com suplentes da velha guarda autárquica, para de entre eles e mulheres e demais família, expressamente convidados para fazerem número, como se queixava alguém contactado e meio desiludido com a presença apenas de 300 pessoas, quando seria "normal" comparecerem, desde logo todos os 600 candidatos, mais um ou dois familiares por cada um dos candidatos, para prefazer a bonita soma de 1.200 ou 1.800 pessoas, perde toda a autoridade ao falar de renovação e mudança. Afinal, tudo não passa de uma cópia de mais do mesmo.
Portanto, sem mais considerandos, os media deviam desde já começar a saber aplicar nova metodologia informativa, sob pena de faltarem ao respeito aos munícipes, ouvintes e leitores e romperem com a sua desejável e obrigatória isenção deontológica.
Os abrantinos já não alinham nessas jogadas.
E mal iria o nosso concelho, e a vivência democrática, quando uma pequena "multidão" de 300 pessoas pudessem aferir uma tendência eleitoral ou condicionar um resultado eleitoral. Esse tempo demasiado longo, - desgraçadamente longo - já terminou.
Não, estas atitudes não dignificam a democracia, nem prestigiam os candidatos que pretendem manipular a opinião pública. Vindo de uma Senhora candidata, então, o caso ainda parece mais grave: a mudança na continuidade!
Nota:
- Os "recados" com destino aos "Independentes" soaram com estrondo. Foram autênticos tiros nos pés!
Os eleitores já perceberam, que acima de tudo, há que evitar a "coligação" dos herdeiros desavindos do PS. E na dúvida, nada como evitar votar em qualquer um deles, não vá o diabo tecê-las.

O CDS tem soluções!

Abrantes Popular

Candidatura Abrantes Popular: Saúde

Consultas só uma vez por semana, com doentes a chegarem ao Posto a partir das 5 horas da madrugada, para a consulta à tarde...E esta semana a médica esteve de férias. Carro da Câmara para o transporte para o Centro de Saúde em Abrantes, isso já era pensar demasiado nas pessoas, ainda por cima doentes...
Uma só vez por semana... Século XXI, ano de 2009...
Reabilitação urbana, não se pode resumir a recuperar a casa antiga. Aliás nesta mistura de antigo com as linhas modernas do piso da cave que acabou em Posto Médico, ninguém pensou nas pessoas deficientes, que têm que descer as escadarias ou a rampa super inclinada. Um pouco mais de imaginação e de bom senso e a cave poderia ter subido um pouco mais no topo do lado da rampa e rebaixado o terraço fronteiro à casa antiga, de forma a encostar-se todo à E.N. 358. Um edifício em "L" com um terraço a desembocar no passeio largo que falta naqueles acessos. E a entrada era pelo terraço ligado ao passeio e à rua...
Custava assim tanto? Ou será preciso fazer-lhes o desenho?!
Onde param os arquitectos municipais?! E a Tagus, do Desenvolvimento Rural?
Era só, outra perspectiva, e outra valorização do aspecto funcional do edifício, a pensar nas pessoas, claro!
E lá acabava esta montra aberta, para um carro resvalar e ocupar a sala de consultas, sem ter que retirar a senha, às 5 da madrugada...
O perigo espreita. Quando fui vereador falei nesse perigo! Disseram para aí uns iluminados, que ninguém ligava ao que eu dizia, não era isso que constava?!
E eu pergunto: poderá ser de bom tom ético e de boa educação cívica ou prova de inteligência e elevação, haver quem possa argumentar com desdém, sobre o reparo cuidado e bastante direccionado para um caso de perigo público, como este, que eu denunciei?!
Insisto: quem é que pensando nas pessoas de Martinchel, ainda consegue andar em festas e com sorrisos nos lábios?!
Como é que se pode ser tão cruel com as pessoas?! Isto é rampa para um Posto Médico?
Com o mesmo cuidado cívico e sem cobrar honorários, - sublinhe-se que é de borla - aqui fica mais este reparo do candidato,
NOTA: Este topo podia subir a cave prolongando o corpo mais para a rectaguarda e deixar um túnel de acesso por baixo para a cave de armazém da junta. Afinal a cave - armazém da Junta - é que obteve a melhor entrada...

João Pico

Abrantes Popular